• Facebook ícone social
  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social

CONTATO ENCAIXE

Tel. +5511950220033 - Vila Indiana - São Paulo

SOBRE NÓS

A Encaixe Soluções Alternativas, surge do encontro das experiências da arquiteta, permacultora e designer, Brianna Bussinger com Rafael Alves, coordenador de projetos em sustentabilidade e bioconstrutor.

CRIADORES

Rafael Alves, fundador da Encaixe, coordenador de projetos e bioconstrutor, estuda Letras na USP. Além de professor-idealizador de cursos de capacitação de bioconstrução e coordenador de obras privadas em sustentabilidade, articulou mutirões e coletivos de intervenção urbana na cidade de São Paulo, onde construiu mobiliário urbano e brinquedos de bambu em praças públicas, além de outras ações espaciais como a elaboração da horta coletiva na vivência dos estudantes da USP.  Além disso, ministrou aulas de literatura e artes desde 2002 em escolas públicas do estado de São Paulo quando fez parte do projeto social da Parceiros da Educação. Durante muitos anos foi gestor da AMORCRUSP - Associação de Moradores do Conjunto Residencial da USP, liderança reconhecida do Movimento Estudantil, onde atuou ativamente de lutas sociais reivindicatórias e participou da organização de palestras, cursos, eventos, exposições e exibições de filme. Após ter  também ganho experiência como ator e diretor teatral, foi agente cultural e professor de artes cênicas no cursinho da Poli. Viajou o Brasil de carona durante 2 anos para conhecer a história de sua família, de origem nordestina advindas do Cangaço e de Canudos, e explorar as culturas tradicionais do sertão. Músico e pesquisador da cultura e música brasileira sempre busca referência nacional em seus projetos e estudos. Mantém sempre a utilização de recursos sustentáveis viva em seu cotidiano e sua capacidade plural produtiva possibilitam uma visão abrangente sobre suas obras. Através da Encaixe Soluções Alternativas, converge suas competências de coordenador de projetos na área do design sustentável.

Brianna Bussinger, fundadora da Encaixe, arquiteta formada pela PUC-Rio, iniciou a sua trajetória profissional com uma viagem de quase 4 anos ao redor do mundo. Trabalhou em 5 países na Ásia, África e Oceania, desenvolvendo projetos arquitetônicos com foco em desenvolvimento sustentável. Além de sua contribuição em instituições renomadas, como o Auroville Bamboo Centre (Índia), Abari - Bamboo and Earth Initiative (Nepal), Ibuku (Indonésia), Cave Urban (Austrália) e MASS Design Group (Ruanda), participou da elaboração e execução de cursos de permacultura no “The Kul Kul Farm” da Green School em Bali e “Milkwood” em Sydney, conduziu palestras sobre técnicas construtivas com bambu e terra, na FAU-UFRJ e no Instituto Tibá - Rose ambos no Rio de Janeiro, coordenou workshops e vivências de bioconstrução no EREA em Itaúnas, e realizou um conjunto de voluntariados, entre eles, uma experiência com o cofundador do conceito da permacultura - David Holmegren. A intensa jornada foi programada de acordo com o principio do “learn by doing”, ou, em bom português, “vivendo e aprendendo”. Suas experiências possibilitaram um aprendizado amplo e integral sobre as tendências contemporâneas da arquitetura sustentável, além da aquisição de um conhecimento único sobre as problemáticas e tensões globais, e acima de tudo pôde presenciar como o design tem o poder de melhorar a qualidade de vida das pessoas. Sua infinita energia para o trabalho e capacidade para se adaptar em qualquer cenário, possibilitou o enriquecimento das suas habilidades profissionais e técnicas. Através da Encaixe Soluções Alternativas e com sua visão social do papel da arquitetura, cria projetos funcionais, low-tech, que valorizam e consideram o contexto ambiental e social.

 
 

COLABORADORAS

Suzane Cunha, colaboradora da Encaixe, arquiteta formada pela FAU-UFRJ, iniciou seus estudos na Escola Superior de Arquitetura Val de Seine em Paris, onde morou por 2 anos. De volta ao Rio de Janeiro, ainda durante a faculdade começou sua aproximação com as construções sustentáveis, trabalhando em projetos de postos ecoeficientes da rede Ipiranga e em um conjunto Minha Casa, Minha Vida que buscava o Selo Casa Azul da Caixa. Na área social, com a Arquitraço atuou com habitação e urbanização de comunidades cariocas, principalmente em projetos na Rocinha e Babilônia, além de realizar trabalho voluntário com a ONG TETO. Também ministrou aulas de Introdução à Construção Civil para alunos do programa Jovem Aprendiz pelo Instituto Locus. Foi assistente de cenografia das Cerimônias Paralímpicas da Rio 2016, aclamadas pela mídia e pelo público, onde teve a oportunidade de trabalhar com personalidades como Vik Muniz, Fred Gelli, Marcelo Rubens Paiva, entre outros. As Cerimônias tiveram como desafio extra o baixo orçamento em comparação a outras já realizadas, exaltando a habilidade de adaptação das equipes de criação em pensar elementos low-tech para os espetáculos. Na Bahia, com a arquiteta ucraniana Irina Biletska e parceiros (coletivo Low-Construtores Descalzos) desenvolveu habilidades em arquitetura orgânica, bioclimática e bioconstrução. Em São Paulo, junto com o Gera Brasil, acompanhou obras de casas sustentáveis que mesclam bioconstrução com elementos tecnológicos, como dispositivos de economia de água e placas fotovoltaicas. Uma das casas busca certificação LEED Home. Com amplas experiências multiculturais ao redor do globo, acredita na responsabilidade sócio-ambiental da arquitetura e no seu poder transformador, e através da Encaixe Soluções Alternativas visa melhorar a qualidade de vida das pessoas dando soluções criativas a partir do contexto de cada um.

 

Iolanda Guilherme, colaboradora da Encaixe, é doutoranda do programa de pós graduação em língua, literatura e culturas italianas da USP, atuante no movimento estudantil da universidade, em grande parte no que tange as questões de gênero, foi integrante e gestora da AMORCRUSP - Associação dos Moradores do CRUSP, Conjunto Residencial da USP, onde reside atualmente. Colabora com a Encaixe não só enriquecendo nossos textos mas também trás consigo a experiência de uma vida mais sustentável. Cresceu em Itapetininga, interior de São Paulo, onde morava com sua família em uma pequena, mas altamente produtiva propriedade rural. Seus país, as seis irmã e um irmão caçula, mantinham no terreno o cultivo de verduras, legumes, hortaliças em geral, para subsistência. Tão boa era a horta, completamente orgânica, que muitas vezes acabavam vendendo o excedente da produção, além disso, tinham uma criação de animais que servia para atender as necessidades da casa, com galinhas, coelhos, cabras e codornas. Com toda essa experiência prática Iolanda fortalece as trincheiras da Encaixe botando a prova as ideias de permacultura que colocamos em prática.

 

COLABORADORES

Francisco de Assis da Silva é apenas um rapaz de 54 anos, latino-americano, aposentado bancário mas sem dinheiro no banco, sem parentes importantes e vindo do interior da Paraíba. Casado com Nadilza Guilherme da Silva que nunca mudou seu sobrenome (o Silva era dela antes do casamento e depois), tem oito filhos. Por não ser banqueiro, mas apenas bancário a vida lhe exigiu ter outras atividades além da profissão, para dar conta de criar sua prole composta por oito saudáveis famintos… No começo da união morou em um “apertamento popular” no Inocoop Campo Limpo (Zona Sul Pobre da Capital Paulista), Por não conseguir à época (1991) pagar as prestações que no desgoverno Collor chegaram a metade de seu salário mensal, mudou-se para uma chácara em Itapecerica da Serra (SP), no bairro de Itaquaciara, onde começou a plantar alfaces no sistema hidropônico. Daí para poder garantir pelo menos o leite das crianças que a cada ano aumentavam criou animais, cabras Saneen e Alpina, coelhos, galinhas caipiras, codornas, e plantou tudo que era possível, de modo orgânico, embora sem técnicas apuradas. Claro que, a participação de sua esposa, Nadilza foi essencial para o projeto de criar uma pequena república socialista, nos moldes da Agricultura Familiar, e conseguir sobreviver a todos os reveses que a sociedade em seus moldes de produção capitalista impõe a quem não nasceu em ‘berço de ouro’. É um estudioso das questões agroecológicas e da importância da ciclagem e reciclagem para a sustentabilidade do planeta, cursou, embora não tenha concluído, Matemática na USP, Administração de empresas na Federal de Uberlândia, Engenharia Ambiental na Federal de São Carlos, Agro Negócios na Fatec Itapetininga SP. Tem cursos técnicos em Matemática financeira, Alfabetização para Adultos (método Paulo Freire), CIPA incêndio e Primeiro Socorro, Processamento de embutidos (defumação). Contribuiu para a Fundação da Cooperita (Cooperativa dos Catadores de Resíduos Sólidos de Itapetininga) e da COLAF (Cooperativa dos Produtores de Leite e demais Produtos da Agricultura Familiar de Sarapuí e Região). Atualmente, cursa Agricultura Orgânica pelo Senar Sorocaba, Projeto experimental no sitio Tirisco, município de Sarapui. Desde a virada do milênio, mora em sua chácara em Itapetininga no Bairro “Portar” da Figueira, Esteve sempre ativo nos movimentos sociais que defendem a dignidade humana e um mundo mais sustentável, no qual todos possam viver melhor sem agredir o meio ambiente em que vivemos. É colaborador da encaixe por entender que as soluções alternativas precisam ser feitas, o quanto antes, para transformarmos o mundo.

 

Lucas Ota é engenheiro ambiental formado pela UNESP, durante seus últimos meses na universidade realizou pesquisas relacionadas ao saneamento a seco por processos de compostagem e reaproveitamento de resíduos. Tem o desejo de mostrar que sistemas de saneamento podem ser mais eficientes e sustentáveis! Viajou por quase dois anos pelo Brasil, conhecendo e aprendendo com iniciativas agroecológicas e permaculturais através da plataforma WWOOF em busca da prática real em tecnologias e hábitos sustentáveis. Teve experiência imersiva como estudante e bolsista em permacultura no Instituto Ná Lu’um de Permacultura no Brasil e na Argentina em gestão de projetos, análise de paisagem e bioconstrução. Na área social, coordenou voluntariamente com a TETO Brasil a realização e acompanhamento de projetos em desenvolvimento comunitário em Itaquaquecetuba; e atualmente colabora através da Corrida Amiga na promoção da mobilidade dos pedestres no meio urbanos e na busca por cidades mais acessíveis pra quem anda! Colabora com a Encaixe para desenvolver e aprimorar alternativas de saneamento transformadoras e eficientes integradas ao meio ambiente.

Filipe Bisof tem 21 anos, muito focado e dedicado em seus estudos tem sua formação principal em Design de Produto no Centro Universitário Belas Artes, o título de melhor aluno do departamento garantiu-lhe uma pós graduação gratuita oferecida pela instituição,  o que abriu as portas para muitos outros interesses, expandindo seus conhecimentos ele cursou História da Arte no Instituto Federal, participou do primeiro curso de Bioconstrução com Técnicas em Bambu da Encaixe SA, destacando-se outra vez como melhor aluno, além de realizar workshop no Fab Lab livre de São Paulo com foco em fabricação digital, área em que possui grande experiência principalmente no processo de impressão 3D FDM. Atualmente trabalha com Design de Produto mais especificamente com Shopper Experience, paralelamente a tudo isso desenvolve-se como artista em um atelier secreto perto da Estação da Luz. Reside na região de Pirituba onde nasceu e sempre morou. Colabora com a Encaixe desenvolvendo mobiliários exclusivos e criando designs inovadores, altamente funcionais, trazendo muito mais conceito para as nossas obras!

 

PARCEIROS

Rafael Yutha Iizuka, sócio-fundador da MK Bambu, formado em administração de empresas pela PUC – SP, trabalhou na área por um tempo mas acabou se rendendo a sua verdadeira paixão, o bambu, além de sócio e fundador da Shiguenao Sustentabilidade, permacultor formado pelo instituto Pindorama. Participou também de vivência na montagem do festival Simpósio Latino Americano – Nova Friburgo RJ, vivência no design permacultural da Candeo orgânicos com foco em bambu e agrofloresta, de cursos com Jaime Pena, Jorge Stamm e Gernot Minke.  Desenvolve projetos de compostagem e agricultura urbana em Osasco – SP e Guarulhos - SP. Além disso formou-se também pela instituição Senac em Jardinagem, Jardineiro e introdução a paisagismo. Comprometido com as questões permaculturais e de sustentabilidade vive para aplicar e desenvolver esses conceitos de forma prática e aplicada.

 

Dalton Kawakami, sócio-fundador da MK Bambu, educador físico formado pela universidade FMU, ex-atleta profissional do Judô Federativo Brasileiro, atualmente é Preparador Físico com foco em treinamentos seguindo o ciclo hormonal. Palestrante Fitness pelo Rotaract/Rotary e Celafiscs. Consultor Fitness na área de treinamento e gestão Fitness.  Ministra aulas de alongamento em cursos da MK Bambu na sede em Ibiúna para garantir o bem-estar e saúde dos participantes.